O Município

Dados do município.

Dados do município/localização

Fundação: 29/04/1992
Emancipação Política: 29 DE ABRIL DE 1992
Gentílico: COIVARENSE
Unidade Federatíva: PIAUÍ
Mesorregião: CENTRO-NORTE PIAUI
Microrregião: TERESINA
Distância para a capital: 68 KM

Dados de características geográficas

Área: 506,72
População estimada: 3942
Densidade: 7,80
Altitude: 190
Clima: TROPICAL
Fuso Horário: UTC-3
A origem de Coivaras se deu em virtude de alguns vaqueiros e viajantes da região do Piauí e do Ceará, que passavam pela Caatinga do mimoso, de onde faziam viagens, tocando boiadas e, que durante as viagens, faziam do local onde hoje é Coivaras, parada obrigatória para saciarem a sede dos animais e para o próprio descanso, no lugar chamado de Ingazeira. No local havia um manancial de água; pois, tinha um riacho com olho d’água, denominado de “Ingazeira” e de ”Cacimba”. Eles ali se arranchavam e faziam fogueiras para afugentar os insetos. Por isso, o local ficou conhecido por Coivaras, alusão aos restos de vegetação queimados durante as pernoites dos vaqueiro-viajantes. Também, conforme relatos, alguns viajantes e moradores das proximidades levavam as cinzas das coivaras de para serem utilizadas na fabricação de sabão artesanal (sabão de soda) para os seus próprios consumos. Daí a origem do nome da cidade de Coivaras.
O povoamento do município de Coivaras surgiu nos meados do século XVIII, com a chegada de famílias de vaqueiros que se fixaram no local, nas proximidades da Ingazeira. O nome Coivaras, segundo informações e depoimentos de moradores, teria sido colocado em virtude de estes habitantes fazer coivaras de fogo e destas aproveitarem as cinzas na fabricação de sabão. Dado estes fatos, o então município recebeu o nome de Coivaras. Um dos primeiros moradores das terras das coivaras foi Aureliano e José Martins de Oliveira. Descendentes dele queriam que o nome do novo município piauiense fosse “Martinópolis do Piauí”, pois já existe Martinópolis do Ceará, mas entraram em um consenso ao escolher o nome de COIVARAS, em alusão às coivaras de fogo, e também em virtude da consulta popular (plebiscito) que ouviu a população a respeito da emancipação que já denominava o então povoado, de Coivaras.
A pedido dos moradores do então povoado de Coivaras, João Ferreira Gomes (João Biló) e Florentino Inácio de Oliveira, proprietários das terras banhadas pelo Riacho do Olho D'água da Ingazeira, o então prefeito de Altos, Anísio Ferreira Lima, construiu em 1952 dois tanques na nascente do olho d’água a fim de Represar a água para o consumo humano e animal durante os meses de estiagem e também nas épocas de prolongadas secas que atingiam o município de Coivaras. No tanque grande, era armazenada a água para o consumo humano, enquanto que no tanque pequeno era armazenada a água para o consumo dos animais. Hoje no local foram perfurados dois poços que auxilia o abastecimento d'água da cidade de Coivaras. Infelizmente um dos dois tanques (o do consumo animal) desapareceu. Duas hipóteses para o desaparecimento do tanque: foi demolido ou encoberto pela erosão.

Uma das primeiras famílias a habitar o lugar foi a de Martinho José de Oliveira, esposo de Ambrosina Maria de Oliveira. Estes pais de Raimundo Martins de Oliveira (1887-1985), um dos primeiros líder político do lugar e que se notabilizou por ter implantado os primeiros serviços públicos no município, ao lado de Antônio Inácio de Oliveira. Este último foi um homem de grande envergadura e destaque político em Altos e região, proprietário da lendária “Fazenda Canto Alegre”. Antônio Inácio de Oliveira (1904-1979), foi vereador em Altos durante cinco legislaturas. Maria Quitéria de oliveira, João Ferreira Gomes (João Biló), Luciana Maria de Freitas, Virgínia Freire Gomes, também foram alguns dos primeiros moradores de Coivaras. O então povoado de Coivaras teve intensa participação política em Altos. Foram vereadores representando o então povoado de Coivaras na Câmara Municipal de Altos: Antônio Inácio de Oliveira, (1951-1955/ 1955-1959/1963-1967/ 1967-1973/ 1973-1977); Clorisvaldo Martins de Oliveira (1963-1967); Raimundo Martins de Oliveira (1971-1973); Nilo Martins de Oliveira (1969-1971/ 1977-1982/ 1983-1988/ 1989-1992) e Erasmo Gomes Freire (1988-1992). A emancipação política de Coivaras deu-se no dia 29 de abril de 1992, através do projeto de lei nº 4.477 que criava o município Coivaras, situado na microrregião de Teresina, hoje RIDE Grande Teresina (Região Integrada de Desenvolvimento: são as regiões metropolitanas brasileiras que se situam em mais de uma unidade federativa, no caso, a Grande Teresina aglutina Timon- Ma).

Nos 22 anos de emancipação política de Coivaras, foram prefeitos do município: Erasmo Gomes Freire (gestão: 1993-1996), Bernaval Freire de Araújo (gestão: 1996/2000-2001/2004), Francisco Freire Furtado (gestão: 2005-2008-2009/2012) (2012/2013-2016) e Edimê Oliveira Gomes Freitas (gestão: 2012 e 2013/2016). A comunidade Canto Alegre, tradicionalmente, sempre elegia o vice-prefeito: Joelina Inácio de Gomes (1993/1996), Vencerlau Oliveira Gomes (1996/2000-2001/2004), Edimê Oliveira Gomes Freitas (2005-2008/2009-2012). Entretanto, com o óbito do ex-prefeito Francisco Freire Furtado, ocorrido em 23 de agosto de 2012, a situação se inverteu e o vice passa, a ser da sede, Yuri Magalhães Freire, eleito em 07 outubro de 2012, na chapa da então e atual prefeita reeleita Edimê Oliveira Gomes Freitas, através da coligação A Vontade do Povo (PT/ PMDB/PCB/PSB/PSD/PC do B).

Foram presidentes da Câmara Municipal de Coivaras: Benerval Freire de Araújo, Francisco José de Almeida Araújo, Mariano Gayoso Castelo Branco Neto, José Pereira Gomes Filho, Francisco Freire Furtado, Francisca das Chagas do Vale Silva, João do Monte Furtado Neto, Vera Lúcia Oliveira Gomes Rodrigues, Carlos Alberto Lustosa Araújo José Pereira Gomes Filho e, atualmente, Cristina Arcângela Rodrigues do Vale.

Coivaras recebeu status de município pela lei estadual nº 4477 de 29 de abril de 1992, com território desmembrado do município de Altos.[6][7]
Na zona urbana tem a Biblioteca Municipal Professora Tia Alice e de acordo com a lista de bibliotecas brasileiras do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas fica situada na rua Soldado Cruz, s/n no centro da cidade, entretanto funciona atualmente na Avenida Raimundo Martins, 596, centro, Coivaras-PI.[7]

Sem informações até o momento



NOTÍCIAS MAIS RECENTES
#Educação Há 34 dia(s)

Coivaras recebe Prêmio Alfa-10

A Escola Municipal Virgínia Freire se destacou como vencedora, sendo reconhecida a nível [...]

#MeioAmbiente Há 35 dia(s)

Coivaras Conquista Selo ICMS Ecológico

No dia mundial da terra, 22 de abril, Coivaras recebe pela segunda vez o Selo Ambiental [...]

#Transparência Há 77 dia(s)

Primeira Parcela dos Precatórios do FUNDEF na Conta

Na última quinta-feira, 07, foi repassada aos professores da Rede Municipal a primeira p [...]

#Transparência Há 83 dia(s)

Publicado o decreto que homologa o resultado final do Concurso Público do Município

Foi publicado o decreto que homologa o Concurso Público instituído pelo Edital nº 001/20 [...]

#Infraestrutura Há 109 dia(s)

Prefeito assina convênio orçado em quase 6 milhões para a pavimentação de rodovia

Na última terça-feira, 06 de fevereiro, o prefeito Marcelino reuniu-se com a gerência da [...]

#Município Há 125 dia(s)

Prefeito realiza caminhada de 18km pela PI-215

"SONHO ALCANÇADO E PROMESSA CUMPRIDA"

#Município Há 174 dia(s)

Coivaras recebe uma máquina de bater palha e kits de irrigação

No último sábado, 2, o Prefeito Marcelino reuniu-se com o Ministro de Desenvolvimento So [...]

#Município Há 256 dia(s)

Desfile cívico de 7 de setembro

Coivaras celebra o dia da Independência do Brasil com tradicional desfile pela cidade

Qual o seu nível de satisfação com essa página?


Muito insatisfeito

Insatisfeito

Neutro

Satisfeito

Muito satisfeito